10/04/2009

ACASALAMENTO (COITO)

Planejando o Acasalamento
Deve ser considerado os seguintes fatores na seleção de um reprodutor para uma fêmea:
· Disponibilidade, isto é, popularidade;
· Distância a ser viajada;
· Custo da taxa do reprodutor;
· Livre de doenças herdáveis;
· Pedigree em relação ao da fêmea;
· Valor potencial dos filhotes para exposição, corrida, etc;
· Temperamento e conformação favoráveis.
O auxílio de um criador experiente deve ser solicitada caso à fêmea e o macho sejam principiantes. Informar o proprietário do macho quando os primeiros sinais de estro forem notados na fêmea.
Período fértil
A maioria das fêmeas são cobertas 10 a 12 dias após o início do proestro. Este período geralmente fornece resultados satisfatórios mesmo se a fêmea não estiver ovulando porque:
· O esperma de um macho fértil pode sobreviver por até 7 dias na fêmea; de forma que os cruzamentos antes da ovulação podem ser férteis;
· Os óvulos não estão prontos para serem fertilizados até 3 dias após a ovulação, de forma que os cruzamentos após a ovulação podem ser férteis.
Cruzamentos repetidos 24 a 48 horas antes e depois deste período aumentam a probabilidade de concepção. A detecção do período de ovulação pode ser necessário quando:
· As fêmeas ovulam muito antes ou depois do que a média;
· Será empregada a inseminação artificial;
· Um macho com sêmen de qualidade inferior estiver sendo usado; cruzamentos repetidos podem ainda ser vantajosos;
· Uma fêmea for tímida, sendo necessária a contenção durante a cobertura;
· O período de ovulação pode ser detectado utilizando-se citologia vaginal ou através da mensuração de progesterona sanguínea.
Comportamento Normal de Acasalamento
RECONHECIMENTO
Se a fêmea e o macho não forem contidos, haverá uma fase de brincadeiras, saltos, farejamento, durante a qual o macho, caso seja inexperiente, montará na fêmea em várias posições inapropriadas. Nesta fase a primeira fração poderá ser ejaculada. Se a fêmea cooperar, ela eventualmente manter-se-á parada, permitindo que o macho suba por trás e ela então deslocará a cauda para um lado, elevando a vulva para facilitar a penetração. Algumas fêmeas são contidas pela cabeça e podem ser amordaçadas a fim de prevenir o risco de ambos se atacarem, ou uma fêmea agressiva amedrontar um macho inexperiente.
PENETEAÇÃO
Uma vez que o macho tenha subido, ele iniciará movimentos a fim de completar a penetração, neste período a ereção é pequena e a rigidez é fornecida pelo osso peniano. Os membros torácicos do macho agarram a fêmea firmemente à frente da sua pelve. Conseguindo a penetração, o macho investe mais e mais com o propósito de inserir toda a glande do pênis; neste período a pelve do macho é forçada contra a pelve da fêmea e sua porção lombar fica quase vertical. A ereção começa após a completa penetração e o macho ejacula a segunda fração, rica em espermatozóides.
ENGATE
Uma vez que a ereção tenha ocorrido, o cão instintivamente quer desmontar, posicionando as patas anteriores em um dos lados da fêmea, a perna de trás no lado oposto é elevada no ar. A perna elevada é passada por cima do dorso da fêmea, e o cão encurvar-se, a porção do pênis proximal ao osso peniano curva-se lateralmente a 180 graus, se o cão tiver uma ereção completa, seu pênis não deixará a vagina da fêmea.
O macho ainda é capaz de completar a ejaculação da terceira fração, mesmo apesar da uretra estar curvada, a curvatura do pênis pode auxiliar a prevenir o escape de sangue da glande e assim manter a ereção.
Em algumas raças, por exemplo, greyhounds, uma virada completa geralmente não é permitida; o que parece não afetar a fertilidade.
Fatores que Interferem no Acasalamento Normal
FATORES PSICOLÓGICOS
A maioria dos cães sabem instintivamente como copular, mas na ocasião podem não ser capazes devido a:
· Diferença na experiência sexual: um reprodutor experiente pode assustar urna fêmea virgem ou vice-versa;
· Medo de desaprovação humana: esta atitude é particularmente verdadeira nos machos que são préviamente repreendidos por manifestar interesse sexual;
· Local estranho: como o macho participa mais ativamente no coito, a fêmea geralmente é levada na residência do macho para evitar este problema;
· Familiaridade: algumas vezes machos e fêmeas que são mantidos juntos por muito tempo não copularão;
· Humanização: particularmente as fêmeas conservadas em casas e raramente expostas a outros cães, parecem ressentir a aproximação de outro cão como se ele fosse anormal;
· Falta de libido: nos machos, pode ser similar ao problema previamente mencionado na fêmea. A causa pode ser também algum dos outros fatores psicológicos mencionados acima.
Diagnóstico e terapia são difíceis:
· A mensuração da concentração de testosterona circulante não é diagnóstico;
· A administração de gonadotrofina coriônica humana (HCG) pode elevar a produção de testosterona, mas não é terapêutico;
· A administração de testosterona também não é terapêutico e pode causar agressão e alteração na espermatogênese (devido à inibição da liberação de gonadotrofinas pituitárias);
· A terapia de reposição da tiróide pode melhorar a libido.
FATORES FÍSICOS
Os cães com deformidades óbvias nos membros e lesões musculo-esqueléticas podem ter problemas para adquirir a posição compatível com a penetração; eles não devem ser usados para reprodução se a condição for hereditária.
Lesões súbitas na coluna podem impedir a cobertura apesar de não haver evidência de dor nas atividades do dia-a-dia. As fêmeas podem necessitar de ajuda para suportar machos pesados-cães com doença prostática podem mostrar sinais de dor durante ou após a ejaculação. Drogas antiinflamatórias não-esteróides podem reduzir a dor músculo-esquelética e não parecem ser prejudiciais ao sêmen. Pode ser difícil determinar se a relutância à cópula é devido a fatores físicos ou psicológicos
FALHA NO ENGATE
Após a penetração o engate pode não ocorrer devido a fatores do macho ou da fêmea. Se ocorreu a ejaculação da segunda fração, a fêmea pode ainda conceber embora a fertilidade não seja boa. Não se conhece o efeito do tempo de permanência de engate na fertilidade, embora muitos criadores afirmem que o tempo longo eleva a chance de concepção.
Referência: ALLEN, W. Eduward. Fertilidade e obstetrícia no cão. São Paulo/SP: Livraria Varela, 1995.

5 comentários:

  1. "... mesmo apesar da uretra estar curvada, a curvatura do pênis pode auxiliar a prevenir o escape de sangue da glande e assim manter a ereção."

    Minha pergunta:
    Se acaso houver esse escape de sangue após o cruzamento... é sinal de quê??? É normal???

    Att.
    Marisa Maia
    maryted@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Ola Doutor, tenho uma cadela maltês de 3 anos. Com uma certa dificuldade encontrei um macho maltês de 8 anos de idade para cruzarem. Os dois são virgens e tem saudade perfeita, ele é um pouquinho maior que ela. Ela esta + ou - no 9º dia do cio. Ontem levei ela na casa dele, mas nao cruzaram, tentaram muito, mas na hora da penetração ela gritava e saia... hoje a dona dele trouxe ele aqui na minha casa, e de novo tentaram e nada. Ele sobre nela, faz os movimentos (meio de lado) mas nao consegue penetrar, e na hora que parece que vai conseguir ela grita e sai... ate ela tentou montar nele tambem... enfim eles cansaram de tentar e nada de fato aconteceu. amanha combinei de levar ela lá na casa dele novamente, sera que estou agindo corretamente? aguardo resposta por favor. obrigada Patricia (gentileza respoder para meu email hotmail)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria dessa mesma resposta pois está acontecendo com minha cadela a mesma coisa. É uma schnauzer de 3 anos, está no 9º dia do cio; ele tenta muito, ela permite que ele suba nela faz os movimentos e nada, quando ele consegue se posicionar de forma correta ela grita e sai. Ele fica muito cansado mesmo assim tenta de novo por varias vezes. Ele veio para minha casa está a dois dias e nada. por favor me responda. Desde já agradeço!

      Excluir
  3. Bom dia, temos um casal de westie e neste fim de ano deixaríamos eles acasalarem no cio previsto para esta época. Tudo corria bem mas na hora do coito o macho não demostra interesse e se desvia da fêmea. Ele até cheira e lambe a vulva dela mas não sobe para o coito, ou quando sobe fica por alguns instantes. Eles vivem juntos o tempo todo dentro de casa comem ração super-premium e estão com as vacinas em dias. Não sei o q faço para estimular o macho a cruzar por favor me dê alguma sugestão.

    ResponderExcluir
  4. olá doudor tenho uma boxer femea entrou para o 3 cio dela ,só que nunca coloquei antes com nenhum macho ....só que semana passada ela estava no 10 dia do cio ai resolvi colocar meu um boxer macho de um amigo meu com ela só que ela não quiz aceitar quiz dar no cachorro morder ele ...ai foi presciso eu segurar a cabeça dela ..ai macho subiu nela fez o serviço e ficaram engatados por 3 minutos só ao depois se largaram ..no dia seguinte coloquei de novo o macho com ela fazendo o mesmo sistema de segurar a cabeça dela ai o maco novamente engatou e passou 15 minutos engatado a ela ....queria saber doutor se com essas 2 engatadas ela pode pegar cria? e pq dela não querer aceitar o cão naturalmente ..sendo presciso segurar ela ??

    ResponderExcluir